Faz exatamente um ano que não atualizo minha carteira aqui no blog, pois estava publicando ela no conteúdo mensal do blog do Tetzner.

Resolvi voltar com a publicação dos meus investimentos por dois motivos, ajudar quem está começando a entender a dinâmica do Mercado de Valores e também para o meu controle, porque esses registros facilitam bastante o acompanhamento da evolução da carteira.

A última atualização sobre a carteira que fiz no blog foi em 2015, você pode ler no artigo da Carteira de Dezembro de 2015.

Rentabilidade por ativos da carteira

Nesse quadro abaixo estão os ativos finais da carteira e suas rentabilidades em 2016, de acordo com o preço médio de aquisição:

Carteira General 2016

Nas ações estou apenas posicionado em Petrobras, através da ação preferencial PETR4.

O preço médio que consegui fazer nessa ação ficou próximo de 7 reais, devido a compras periódicas desde 2015, conforme pode ser comprovado nas publicações mensais da Carteira General daquele período.

Essa empresa passou por muitos problemas durante 2015 e 2016, mesmo assim acreditei no potencial da Petrobras e rentabilizei os papéis com uma estratégia de opções sobre ações.

Como vivo de Bolsa de Valores, preciso de um fluxo mensal e consegui isso fazendo o lançamento coberto de opções sobre as minhas ações PETR4 e, ao mesmo tempo, criando uma proteção (hedge) contra grandes valorizações ou desvalorizações, comprando opções CALL ou PUT de acordo com a leitura do gráfico.

Liquidei da carteira todos os fundos imobiliários, porque havia oportunidade melhor nas ações e redirecionei o capital, com algum lucro nos FIIs devido aos aluguéis e prejuízo na variação das cotas.

Na renda fixa continue focando no Tesouro Direto e consegui um bom retorno nos títulos prefixados, vendi antecipadamente os títulos prefixados de juros semestrais, pois a valorização foi alta e também redirecionei para as ações esse dinheiro.

Para 2017 pretendo ampliar o fluxo mensal com daytrades  em mini dólar, contratos futuros da moeda dólar, mais operações do mercado futuro que vão ampliar o risco da carteira e que devem diminuir ainda mais meu tempo para a independência financeira plena.

Números da Carteira General de 2016

As rentabilidades acumuladas do ano de 2016 da carteira ficaram da seguinte forma:

  • Ações: +43,64%
  • Fundos Imobiliários: +1,49%
  • Tesouro Direto: +19,44%
  • Carteira Consolidada: +77,95%

Para comparação com os demais índices como taxa de juros, inflação e o índice que replica a Bolsa de Valores, o Ibovespa, deixo abaixo suas rentabilidades acumuladas no ano:

Taxa de juros (Selic): 13,65%

Inflação (IPCA): 6,40%

Ibovespa (IBOV): +38,93%

 

Escreva nos comentários como foi sua carteira em 2016 e o que pretende fazer para continuar ou melhorar sua performance em 2017, vou gostar de ler!