A crise econômica, que já anda sendo chamada de Grande Recessão, não parou a vontade dos brasileiros de viajarem para o exterior. A primeira viagem internacional gera muitas dúvidas, mas vale a pena cada dólar, euro ou peso gasto. No caso do dólar, o turista que deseja gastar sem se preocupar tem duas opções: a compra da moeda ou adquirir um cartão pré-pago.

Compras na viagem internacional

É essencial andar com dinheiro “vivo” nas viagens. Afinal, imprevistos tem de ser previstos, o seu cartão pode dar problema ou no caso de transporte público e táxis, o cartão não será aceito. A melhor forma de se manter prevenida e comprar o dólar com o melhor preço é ficar ligada na cotação da moeda e assim que houver uma queda, você entra em contato com o seu agente de câmbio e realiza a compra. “O Estados Unidos passou por um longo período de crise, mas está voltando com tudo. O dólar voltou a valorizar, o que é muito importante para a exportação, mas no caso da importação e dos turistas, essa fator pode ser um grande incômodo. O ideal é comprar o dólar de tempos em tempos, e assim você garante um preço médio.” – sugere Mickael Noah, sócio fundador da Espaço Câmbio.

Além disso, comprando a moeda no Brasil em uma casa de câmbio você deixa de pagar altas taxas e ainda, recebe um comprovante de compra, o que previne contra a chance de portar uma nota falsa. Quem quer viajar para a Europa, erra ao achar que o dólar também será valorizado por lá. Ao fazer isso, é certo de ocorrer a desvalorização da moeda. O melhor é comprar a moeda do país de destino.

Cartão Pré-pago na viagem internacional

Cartao credito internacional

O dólar é uma moeda temperamental e não sabemos quando (e nem quanto) ela pode oscilar. Quem não tem tempo para planejar a viagem e precisa viajar prontamente, a melhor alternativa é adquirir um cartão pré-pago e esquecer do cartão de crédito para compras em viagens internacionais. Isso porque quando a fatura chegar o susto será iminente, isso devido a valorização da moeda, afinal o valor que você paga é a cotação que o dólar estava no dia do fechamento da fatura e não no dia que você fez a compra. Diversas administradoras de cartão possuem essa opção, como o Visa Travel Money, e o Cash Passport. “No cartão pré-pago, quando eu carrego o cartão com dólares, eu sei que o que estou pagando não vai mudar. Se eu for roubada na viagem, posso pedir um novo cartão, agora com cartão de crédito tudo é mais demorado, complicado e ainda há o item: susto no fim do mês” – diz Maria Nascimento, 55 anos e empresária.

Mais uma vantagem para quem deseja adquirir um pré-pago é o desconto nas alíquotas do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Enquanto no cartão de crédito ela é de 6,38%, no cartão pré-pago, ela é (pasme) de 0,38%. Ou seja, em um gasto de US$ 2 mil em viagem, a tributação menor pode significar uma economia de R$ 120.