“Em países desenvolvidos, o índice de pessoas que investem seus dinheiros em algum tipo de renda variável ultrapassam os 80%, em contrapartida, em países com baixo desenvolvimento, esta taxa está na casa dos 0,5%”. Assim disse Danilo Coscione, um escritor, jornalista e documentarista espanhol, em uma de suas colunas de publicação de um jornal catalão.

No Brasil esta taxa gira em torno dos 3 – 5%. Acredito e defendo a tese de que Introdução à Economia (assim como Introdução ao Direito) deveria ser um estudo básico dos adolescentes, enquanto ainda no ensino médio, assim como nos Estados Unidos e na China, que, curiosamente, são as maiores potências mundiais. Certamente este percentual mudaria. Entretanto esta não é a nossa realidade, então, para entrar no mercado da economia e investir em renda variável, cada um tem que cavar com as próprias unhas e encontrar seu tesouro, buscar o conhecimento. Com este intuito, trato agora de mostrar a você, leitor(a), como fazer uma breve análise de um ativo em uma linguagem de fácil entendimento. É o momento certo de comprar? O que vai acontecer no futuro? Quando será a hora de vender? Existem respostas para estas perguntas?

Existem dois tipos de análises para se fazer antes de investir em ações, uma Análise Gráfica e Técnica e uma Análise Fundamentalista. A Escola Fundamentalista é aquela que trabalha com os fundamentos macroeconômicos de determinada empresa, tentando se aproximar de um “valor real justo” para esta. Por sua vez, a Escola Gráfica e Técnica (objeto do estudo) admite que os investidores são tendenciosos a repetirem as mesmas atitudes do passado. Desta forma, quando fazemos este tipo de análise para uma ação, utilizamos gráficos simples e apenas comparamos o que foi feito antes e quais as consequências dos atos. Assim, qual a conclusão, uma vez que os investidores tendem às mesmas atitudes do passado? Provavelmente, considerando uma economia sem crises no período, o destino dos papéis serão os mesmos.

Análise gráfica e técnica

 

Para os grafistas existem figuras com forte significado do comportamento ao longo do tempo, que indicam tendências de alta ou baixa de um ativo.

  • A linha de tendência;
  • Médias Móveis;
  • Suporte e Resistência;
  • Ombro-Cabeça-Ombro;
  • Topo duplo (M) e Fundo Duplo (W); e outros.

A maioria das corretoras, em seus Home Brokers, logo que iniciado mostram o gráfico do ativo escolhido, na parte inferior um gráfico de barras com o volume negociado diariamente, ou seja, quantas ações foram negociadas e no canto, geralmente o direito, alguns indicadores importantes: o Índice de Força Relativa (IFR), que relaciona altas e baixas recentes do mercado e o Índice Estocástico, que é baseado no fechamento do preço da ação dos últimos dias.

De todas as figuras e índices uma muito usada é a análise por Médias Móveis. Como fazer?

Alguns utilizam as médias com dias diferentes, seja 5/20, 9/40, 7/35…, uns preferem apenas médias simples, outros adotam as médias exponenciais. Vou mostrar um dos modos.

a)    Escolha o ativo de sua preferência e encontre o Gráfico Traderdata, em seguida escolha a opção Candle Stick e coloque para um período de 1 ou 3 anos;

b)   É possível escolher algumas ferramentas a serem usadas. Escolha uma Média Móvel Exponencial (EMA); nas preferências, marque painel de preços; deixe uma série de 5 dias; marque uma cor qualquer, por exemplo, azul.

c)    Agora escolha uma Média Móvel Simples (SMA); marque painel de preços; deixe uma serie de 20 dias; marque uma cor distinta, por exemplo, vermelho.

Pronto, montamos uma Média Móvel exponencial e simples 5/20, para o ativo. E o que significa? Como ler este gráfico?

análise gráfica e técnica

A EMA tende a ser uma variável mais cíclica, ou seja, ela gira exatamente de acordo com o ativo, admitindo pouco intervalo de atraso, assim, se o preço do ativo sobe a linha inicia um processo de subida logo na sequencia, o mesmo acontece se o preço cai. É uma linha que responde rapidamente às emoções do mercado.

 A SMA é uma variável menos cíclica, não chega a ser acíclica e andar contra o mercado, ela apenas é mais lenta, ou seja, demora um tempo maior para corresponder às atitudes do mercado.

A leitura é: dado que a EMA é, digamos, mais ágil, quando ela inicia um percurso tendencioso de subida, provavelmente a SMA estará conservando o movimento anterior, em um prazo maior, então, a EMA cruzará a SMA subindo, esta é a hora que os analistas técnicos indicam como “entrar comprado”. Ou seja, se para você bastou esta análise, compre, provavelmente o preço do ativo subirá nos próximos dias. Da mesma forma as médias móveis são como um mecanismo de defesa, se a EMA cruzou a SMA descendo, é a hora indicada para vender.

Duas observações: Nem sempre os resultados serão os esperados e estou considerando uma economia sem crises, normal. Não pretendo com este ensino básico, indicar compra ou venda de nenhum ativo, mas apenas mostrar uma das n’s ferramentas que são proporcionadas. Existe também o estudo com duas médias simples (SMA’s), com uma de 9 dias outra com 40 dias, além de vários outros métodos. O que aconselho agora? Abra o gráfico, coloque um ativo de seu interesse, escolha o período de 3 ou 5 anos, monte as médias móveis que acabou de aprender, EMA-5 e SMA-20 e faça sua própria análise. Veja o passado, se o preço do ativo realmente obedeceu o cruzamento das linhas. Aprofunde nos estudos e realize bons lucros.

 

Escrito por: Luciano Moulin
Estudante em Ciências Econômicas pela PUC.