O Federal Reserve System (Fed) é o Banco Central dos Estados Unidos, equivalente ao nosso Banco Central do Brasil (BCB) e para você que quer saber qual o impacto das decisões dele em todo o Mercado Financeiro, leia o resto desse artigo.

Dentre as responsabilidades do Fed estão a formulação e execução das políticas monetárias, a fiscalização dos Fed regionais, a regulação e a supervisão dos bancos membros do Fed e o mais importante para nós investidores, a emissão do Beige Book (Livro Bege).

O Livro Bege

O Livro Bege é emitido 8 vezes por ano pelo Fed e o Mercado sempre espera esse evento com ansiedade, pois é nesse comunicado que ficamos sabendo sobre as condições econômicas de todos os EUA.

O FOMC (Comitê Federal de Mercado Aberto, em português) emite uma declaração também oito vezes por ano usando como base o Livro Bege do Fed, por isso estou explicando todas essas etapas para que você compreenda a relevância desses termos todos.

Quando existe uma alteração na taxa de juros americana, essa mudança é declarada pelo FOMC. E é isso que vai impactar positivamente ou negativamente o Mercado Financeiro do mundo inteiro.

A taxa de juros americana

Os EUA são o país mais seguro na visão dos investidores, por isso seus títulos públicos são classificados como os de menor risco e cobiçado por várias instituições financeiras, afinal são garantidos pelo Governo dos Estados Unidos da América.

Sabendo disso, agora você entenderá a importância da manutenção dos juros para as Bolsas do mundo todo e como isso vai impactar os seus investimentos, podendo fazer com que ganhe ou perca na Bolsa.

Para mostrar como funciona esse impacto vou criar um exemplo de estudo para as hipóteses de alterações de juros americana.

Aumento da taxa de juros

Quando o FOMC determina a alteração da taxa de juros nos EUA para cima, isso significa que os títulos públicos americanos vão render mais e continuam sendo livres de risco, portanto, é comum se esperar uma migração em massa de investidores aversos ao risco pelo mundo para esses títulos.

Isso significaria na prática uma queda nas Bolsas pelo mundo e um aumento nas taxas de juros de países subdesenvolvidos para tornar os seus títulos mais atraentes para os investidores, frente aos títulos livres de risco americanos.

Diminuição da taxa de juros

Na hipótese do FOMC determinar a diminuição dos juros americanos, teremos o cenário contrário do descrito anteriormente.

A queda no rendimento dos títulos públicos dos EUA e um menor interesse dos investidores, mesmo sendo seguros e, por isso, esses indivíduos ou instituições vão procurar países que apresentem investimentos mais atrativos na questão da renda.

Os países subdesenvolvidos podem manter seus juros sem alteração ou até fazer uma redução, pois os investidores vão aceitar tomar um risco maior para um rendimento melhor em comparação aos títulos americanos.

Taxa de juros inalterada

O outro exemplo é o da manutenção dos juros, ou seja, deixar tudo como estava. Esse cenário é o que mais acontece, pois o FOMC não costuma fazer alterações nas taxas de juros o tempo inteiro, isso assustaria o Mercado e tornaria a Economia muito volátil, por causa da incerteza.

Mesmo com os juros inalterados o Mercado pode reagir por conta das expectativas de possíveis altas ou quedas dos juros, essa reação torna os Mercados mais voláteis pelo mundo na esperança de algum sinal positivo ou negativo que possibilite uma boa operação para ganhar um lucro a mais acertando o lado vencedor.

Como isso me impacta?

Fed e o Mercado Financeiro

Apesar dessas reuniões e declarações serem feitas em um outro país, você precisa compreender que é o país mais influente para o mundo financeiro e isso vai afetar os seus investimentos.

Quando o Fed faz um Livro Bege muito conciso, o FOMC se torna mais seguro para declarar uma alteração na taxa de juros americana e isso vai fazer com que o dólar pelo mundo, principalmente no Brasil, fique bastante volátil e também a taxa de juros futura.

Então se você investe em títulos públicos (Tesouro Direto) ou pensa em investir, compra e vende ações, fundos imobiliários ou até ativos de renda fixa como LCI, LCA e CDB, ficar atento as mudanças das taxas americanas e comunicados do Fed é uma boa estratégia de defesa no Mercado Financeiro.