Na nossa vida passamos por várias oportunidades e fazemos escolhas, muitas selecionamos de forma natural e automática, por ser a escolha óbvia de acordo com os nossos conceitos e percepções, no entanto em outros momentos nos deparamos com questões muito difíceis e que possuem pontos positivos e negativos praticamente equilibrados.

Movimentando a série sobre emprego e as experiências da minha vida pessoal relacionados a esse tema vou descrever uma situação que passei recentemente e que a escolha entre dinheiro e tempo não foi nenhum pouco fácil de ser feita, mas foi tomada e aceita com firmeza, pois a pior coisa é tomar uma decisão na dúvida e ficar ponderando isso por um longo tempo, para quem não acompanhava o blog desde o início dê uma passada no post que escrevi sobre “Quando é a hora de arriscar” e entenderá parte da situação atual.

Escolha dinheiro e tempo

 Recebo várias propostas todos os meses de emprego e resolvi escrever sobre essa que foi tentadora, uma oportunidade muito boa que teria como vantagem aprender novas tecnologias mais atuais e um aumento salarial líquido de pelo menos 40% e além disso, trabalhar com uma equipe que já conheço e sei que são excelentes profissionais e pessoas, inclusive tenho amizade com alguns deles e por isso fui indicado para a vaga. Como nunca são apenas pontos positivos a vaga em questão fica situada em outra cidade com distância bem considerável, calculei pelo Google Maps e mostrou uma estimativa de 3 horas e 20 minutos de deslocamento (sem considerar o trânsito no horário de pico), e de carro esse horário seria reduzido para 1 hora de 20 minutos, sendo o pior de tudo, a entrada as 7:30h da manhã com tolerância máxima até as 8h da manhã, uma bela maratona matinal…

Hoje onde trabalho chego em aproximadamente 15 minutos e entro as 9h da manhã, posso acordar as 8:30h que ainda chegaria no horário e tenho uma posição boa, por isso viajo pouco, diferente dos outros mais novos que entram. Tenho tudo perto e confesso que acomodei, não que eu não sairia daqui e que não tenho seus defeitos, lógico que tem, como estresse, pressão do cargo e divergências de ideias entre a empresa e as minhas, só que comecei a pensar muito no valor do tempo e se o dinheiro pode pagar por essa perda.

Cheguei a conclusão de que atualmente meu tempo é muito valioso, uma proposta deveria ser pelo menos o dobro do que ganho hoje para ser algo realmente significante se essa proposta envolver ficar quase sem tempo diariamente, pois foi o caso dessa, um deslocamento de 3 horas para ir e mais 3 horas para voltar, consumiriam 6 horas diárias em média e não poderia mais tocar os projetos paralelos que tanto gosto, enfim, não aceitei e se tivessea aceitado provavelmente o blog seria comprometido de imediato.

Seria até estranho eu ter o lema “Invista em Você!” e não investir na minha vida, depois de muita coisa que passei, principalmente por problemas de saúde que até escrevi por aqui, acho importante pensar bastante em escolhas como essas porque, na maioria das vezes, não tem volta.

 

O que vocês fariam com uma proposta dessas? Um aumento de 40% do salário em troca de menos 6 horas diárias. Já fizeram escolhas parecidas? 

 

Invista em Você!