Um tema que resolvi abordar é o emprego, afinal essa é a ferramenta pela qual muitos alcançarão sua Independência Financeira e, apesar de gostar muito de empreendedorismo, não irei me arriscar a desenvolver um artigo sobre algo que conheço tão pouco, agora trabalhando como empregado isso conheço bem faz alguns anos, então irei contar a minha trajetória.

Quando tinha uns 7 anos de idade gostava de desenhar e vendia meus desenhos na escola, não porque passava necessidade, mas por notar que os colegas queriam comprar e ficavam contentes com isso.

Depois com uns 8 anos comecei a pensar em formas de ganhar dinheiro e vendia diversas coisas como gelinho (suco congelado em um saquinho), imãs de geladeira que fazia com gesso e conchas que pegava na praia quando viajava.

Uma pessoa em especial me incentivou muito nessa questão, minha vó. Ela me dava 50 reais nas viagens dizendo: “O que sobrar no final da viagem, pago em dobro”, então ficava maluco bolando formas de fazer meu dinheiro aumentar. enquanto outras crianças gastavam tudo sem dó, eu me segurava até receber o dobro no final da viagem.

Resultado dos meus rendimentos

Mais velho com uns 13 anos trabalhei em uma imobiliária fazendo todo tipo de serviço básico, atendia telefones, pagava contas, fazia café, planilhas e tentava vender umas casas por telefone. O trabalho não durou muito, pois naquela época o mercado imobiliária estava fraco e a empresa fechou em menos de dois anos.

Algum tempo depois na faixa dos 15 anos fiz um curso de informática e comecei a mexer com micros, arrumava o computador de todo mundo que conhecia e fiquei nessa vida até os 17 anos, trabalhando em pequenas empresas.

Com 18 anos fundei uma empresa própria, logo depois que fui demitido de uma assistência técnica. Fiquei com diversos clientes dessa assistência que gostavam do meu atendimento e arrumei outros, até que ganhava bem para minha idade, mas fazia tudo sozinho e só gastava com bobagens como baladas e bebidas, pelo menos paguei a faculdade.

Usava muito esse kit aí!

Nesse meio tempo tive de fazer uma cirurgia complicada e fiquei de cama por 3 meses, foi então que perdi todos os clientes da minha empresa e, como só confiavam no meu serviço, não consegui colocar ninguém para atendê-los.

Esse foi o início do meu despertar para a educação financeira, quando notei o que era importante e quem era importante na minha vida, porque fiquei afastado de tudo e sem dinheiro nenhum.

Comecei a aplicar o dinheiro que havia sobrado em investimentos de renda fixa, inicialmente na poupança e depois em um CDB, logo em seguida partir para as ações, como já contei no primeiro texto desse blog.

E você, me conte nos comentários como foi que descobriu a educação financeira e os investimentos?