Finalmente acabou o ano de 2015, um ano terrível para quem investiu na Bolsa de Valores e um ótimo ano para quem desistiu da renda variável e partiu para o câmbio ou a renda fixa.

Consegui finalizar minha carteira como estava imaginando do meio do ano para cá e acredito que vou carregar dessa forma o ano que vem sem muitas alterações como ocorreram ao longo de 2015. A alocação de ativos sem dúvidas salvou minha rentabilidade, ficar focado em um único ativo como estava imaginando no começo do ano chega a ser insano, a queda teria sido muito alta se focasse em um único setor dos investimentos que detenho agora, por mais que possa parecer que poderia ter obtido uma rentabilidade maior me focando por exemplo em fundos imobiliários, talvez a liquidez não tivesse me permitido a agilidade que consegui para vender e comprar em momentos certos.

Carteira General Dezembro 2015

Carteira General Dezembro 2015

Dessa vez a estratégia de focar em ativos retirou bastante da rentabilidade acumulada da carteira até o momento. Por escolher me expor em poucos ativos de várias classes qualquer valorização ou desvalorização acentua demais na carteira, essa volatilidade pode ser usada para uma boa causa também que são as opções, quanto mais volátil o ativo alvo, melhor.

Continuo com apenas uma ação em carteira que é a PETR4. Estou rentabilizando com a venda de opções coberta e fora do dinheiro, ganhando uns trocados e mantendo a ação para buscar uma valorização no longo prazo, com o prêmio das opções compro mais algumas ações da Petrobras e assim vou tocando a carteira, é uma estratégia demorada e que existe um alto risco de ser exercido, por isso vendo coberto apenas o suficiente para entregar minhas ações da PETR4 caso seja exercido e diminuo o risco dessa forma, o problema é que em quedas altas das cotações o valor do principal que está nas ações acaba desvalorizando muito acima do que consigo fazer com a opções, não existe almoço grátis.

Ainda no setor das ações caíram uns dividendos da VIVT3 que não tenho mais em carteira, eles haviam sido declarados quando ainda detinha as ações no meio do ano e só agora foram pagos, o que contribuiu para um aumento dos dividendos desse mês.

Reduzi drasticamente minha carteira de fundos imobiliários para apenas 3 fundos. Agora os fundos imobiliários são representados por um fundo educacional, um fundo de agência bancária e um fundo de fundos que acaba diversificando em vários fundos de vários tipos como papéis atrelados ao IGP-M, IPCA, fundos de agências bancárias, escritórios e etc. Os rendimentos desses fundos serão reinvestidos nos próprios fundos e não farei novos aportes, aguardando a manifestão sobre a Medida Provisória 694/15.

No Tesouro Direto as taxas seguem bem atraentes, acabei comprando mais alguns títulos atrelados ao IPCA. Vendi um título que não estava performando bem e que tinha uma pequena fração que era o IPCA 2017 de cupom semestral, a venda dele ajudou na compra dos novos títulos de IPCA+ 2019 e IPCA de juros semestrais 2020.

Se você ainda não conhece o Tesouro Direto, recomendo a leitura do Guia completo que criei: Tesouro Direto: O Guia Completo.

 

Movimentações da Carteira General em Dezembro de 2015

Compra de Fundos Imobiliários: Fundo de Fundos
Venda de Fundos Imobiliários: Escritórios
Compra de Tesouro Direto: IPCA+ 2019 e IPCA semestral 2020
Venda de Tesouro Direto: IPCA semestral 2017

 

Rentabilidade por setor da Carteira General

Ações: -12,65%

Fundos Imobiliários: +3,02%

Tesouro Direto: +0,85%

Opções: +1,28%

 

Resumo do fechamento Dezembro de 2015

Dividendos: +0,67%

Corretagens/Impostos: -0,22%

 

Rentabilidade do mês: -0,52%